Bola de Carne de Lamego

bôla de Lamego

A bola de Lamego é uma das iguarias mais genuínas e distintas da cozinha tradicional portuguesa, sendo um prato típico da região que lhe dá o nome – Lamego. Existem variantes da bola, podendo esta ser de presunto (ex-líbris da gastronomia local), salpicão, sardinha, bacalhau, carne ou fiambre, mas a receita tradicional é a de carne.

A bola consiste numa espécie de pão de massa fofa recheada com um dos ingredientes principais e pode ser servida como entrada, petisco, lanche ou refeição ligeira. Foi uma das candidatas às 7 Maravilhas da Gastronomia de Portugal, na categoria de entradas.

Sopa de Goulash (Hungria)

sopa goulash

A cozinha tradicional húngara é caracterizada essencialmente pelo uso da paprica e da carne. A sopa de Goulash (ou Gulyás), cozida tradicionalmente em grandes panelas ao ar livre e de sabor intenso e picante, é preparada com carne, paprica e legumes.
Trata-se da sopa equivalente ao tradicional Goulash, ao qual foram adicionados mais líquido e legumes.

Ingredientes:

Bacalhau à Gomes de Sá

Bacalhau à Gomes de Sá

O Bacalhau à Gomes de Sá é uma receita da cozinha tradicional portuguesa, tendo recebido o nome do seu criador. É um prato de peixe, típico do norte de Portugal, criado por José Luís Gomes de Sá, um conhecido comerciante de bacalhau do Porto.

A receita é simples e relativamente rápida, sendo o bacalhau cortado em pequenas lascas marinadas em leite. Vai depois ao forno, com azeite, alho, cebola, sendo servido com azeitonas pretas, salsa e ovos cozidos.

Batatas Duchesse (França)

batatas duchesse

As batatas duchesse, com origem na cozinha francesa, são uma ótima forma de fazer um aproveitamento de batatas, dando um aspeto requintado ao prato que acompanham, maioritariamente de carne. Estas batatas são muito simples de confecionar e ficam deliciosas, levemente crocantes por fora e cremosas por dentro.

A receita é muito antiga, tendo sido criadas em homenagem a Maria Antonieta (1755-1793), arquiduquesa da Áustria e rainha consorte de França e Navarra. O formato dado ao puré da batata é uma alusão ao penteado alto e ondeado da duquesa. Há registos de que já seriam feitas em 1890 por Auguste Escoffier, cozinheiro de renome mundial que popularizou a cozinha francesa. Nos anos 60 do séc. XX, as batatas duchesse eram muito populares em jantares chiques e festas de casamento.

Sopas do Espírito Santo (Açores)

sopas do Espírito Santo

Entre as várias receitas de sopas açorianas, as mais populares são as do Espírito Santo, também conhecidas por Sopas do Império. Há quem afirme que estas sopas são características da ilha Terceira e do Faial, mas é possível encontrá-las em todas as ilhas, variando a receita consoante a freguesia.
Estas sopas integram a ementa da tradicional festa do Espírito Santo, sendo confecionadas entre o Domingo de Pentecostes e outubro. No último dia das celebrações, o sétimo Domingo depois da Páscoa, é feita a sopa do Espírito Santo, com carne e legumes, sendo distribuída com pão a todos os que não pertencem ao império local.
Na base da confeção desta sopa está o pão seco, que é barrado com manteiga e posteriormente coberto com a água em que se cozeu a carne.

Ingredientes: