Bife de Atum à Madeirense

bifes de atum à madeirense

O atum é um dos pratos mais apreciados na Madeira, sendo geralmente comido sob a forma de bife. A principal atividade económica da Madeira  foi durante muito tempo a pesca e o atum é um peixe abundante nos mares da ilha – também por isso tem uma expressão tão forte na cozinha tradicional da região.

Neste prato, o atum é temperado com alho, sal, vinagre, vinho branco e orégãos, sendo acompanhado com milho (cozido ou frito) ou batata, arroz e salada. Esta receita é uma forma simples e prática de saborear um bom bife de atum, aproveitando todas as suas vantagens nutricionais. No entanto, para que mantenha as suas propriedades, o atum não deve ser demasiado cozinhado.

Salmão Fumado com Molho de Espinafres (Irlanda)

salmão fumado com molho de espinafres

A maior parte dos pratos típicos irlandeses são elaborados com alimentos simples, usando ingredientes básicos como as verduras, batatas, a carne e o peixe. O salmão e o bacalhau são dois tipos de peixes comummente usados na gastronomia local, sendo o salmão fumado muito tradicional na Irlanda.

Esta salada de salmão fumado, regado com o molho de espinafres é tradicionalmente servida no Natal. Veja como é simples de preparar…

Canja de Borrego Beirã

canja de borrego

A canja de borrego é uma sopa tradicional beirã, concorrente às 7 Maravilhas da Gastronomia Portuguesa. A sua candidatura foi feita com o intuito de promover a carne de borrego da Beira, que é um produto de excelência desta região de Portugal.

A canja de borrego é tradicionalmente confecionada numa panela de ferro, com ingredientes que marcam os sabores da região, como o azeite, a cebola e a cenoura. Esta é uma sopa com um sabor forte, característico do borrego, muito estimada pelos apreciadores desta carne.

Capão Recheado

capão recheado

Capão é um frango castrado em pequeno, por volta dos 2 meses de vida, sendo depois alimentado à base de milho e consumido entre 7 a 8 meses depois, o que favorece o aumento da gordura, ficando a carne macia e delicada. As potencialidades deste tipo de carne foram descobertas, por mero acaso, pelos Romanos da Antiguidade. Pelo que se sabe, um Cônsul romano da época, Caio, gostava de dormir e irritava-o particularmente o cantar dos galos, que o acordava de madrugada. Por isso, fez o senado aprovar uma lei que bania estas aves de Roma. Para poderem continuar a sua atividade, os criadores descobriram uma forma de contornar a lei, castrando os galos – desta forma, eles pararam de cantar e de se interessar pelas fêmeas. Estas aves passaram, então a comer mais do que o habitual e a engordar consideralvelmente. Ao serem abatidos para consumo, rapidamente se constatou que o sabor e textura da carne eram diferentes e muito melhores. Os romanos descobriram ainda que quanto mais cedo fosse feita a castração, melhor seria a carne. O consumo do frango capão foi-se, então, propagando, ficando o consumo desta carne associado a ocasiões festivas – tradição que ainda hoje se mantém em algumas regiões de Portugal e da Itália, em quase toda a Espanha.

O capão recheado é um prato tradicional muito apreciado no Natal, em várias regiões de Portugal, sendo uma ótima alternativa ao peru. Este prato é geralmente acompanhado de batatas em cubos, assadas no molho dom capão, ou puré de batata.

Bacalhau à Gomes de Sá

Bacalhau à Gomes de Sá

O Bacalhau à Gomes de Sá é uma receita da cozinha tradicional portuguesa, tendo recebido o nome do seu criador. É um prato de peixe, típico do norte de Portugal, criado por José Luís Gomes de Sá, um conhecido comerciante de bacalhau do Porto.

A receita é simples e relativamente rápida, sendo o bacalhau cortado em pequenas lascas marinadas em leite. Vai depois ao forno, com azeite, alho, cebola, sendo servido com azeitonas pretas, salsa e ovos cozidos.