Posta Mirandesa (Trás-os-Montes e Alto Douro)

posta mirandesa

A posta mirandesa é uma receita de excelência da cozinha tradicional transmontana. Feita à base da carne de vitela da região, marcada pela sua qualidade internacionalmente reconhecida, é um dos pratos de origem popular que rapidamente atingiu notoriedade aquém e além fronteiras de Portugal.

A receita teve a sua origem nas feiras de gado que se realizavam por todo o distrito de Bragança, sendo inicialmente temperada somente com sal grosso que era lançado sobre sobre os nacos de carne, dispostos sobre uma grelha bem quente. A posta de carne era depois servida sobre um pedaço de pão caseiro, sendo saboreada com o molho que ia libertando no pão.

Migas à Alentejana

migas à alentejana

As migas à alentejana são dos pratos mais conhecidos da riquíssima cozinha tradicional do Alentejo. À semelhança de outras receitas alentejanas, o pão é o ingrediente principal deste prato, o que em muito se deve à produção de cereais, característica daquela região de Portugal. Associada ao pão está a carne de porco, outro ingrediente emblemático da gastronomia tradicional do Alentejo.

O pão deve ser do tipo caseiro (preferencialmente alentejano) e duro, a fim de a receita manter a sua a textura e consistência características. Manda a tradição que este prato de carne seja acompanhado de um bom vinho tinto alentejano.

Arroz de Carreteiro (Rio Grande do Sul)

arroz de carreteiro

Originário do Rio Grande do Sul, o arroz de carreteiro, comummente conhecido por arroz carreteiro ou simplesmente carreteiro, é uma opção fácil para preparar uma refeição deliciosa, típica da cozinha brasileira.

A receita surgiu com os carreteiros (transportadores de cargas), que atravessavam o sul do Brasil em carretas puxadas por bois e, no decorrer das suas viagens, preparavam o arroz com um guisado de charque, que viria a dar origem a esta receita tradicional, um dos mais afamados pratos da cozinha gaúcha – tradicional do Rio Grande do Sul. No entanto, atualmente a receita é preparada com carne moída ou sobras de churrasco, que se cozinha juntamente com o arroz. A realidade dos carreteiros ficou marcada sobretudo no nome da receita. Com o tempo, o arroz de carreteiro foi sendo introduzido na  cozinha brasileira e, hoje em dia, é um prato tradicional, comum em todo o país.

Sopa de Feijão – Jokai Bableves (Hungria)

jokai bableves (Hungria)

Esta sopa de feijão está entre os pratos mais populares e apreciados da cozinha tradicional húngara. Trata-se de uma sopa consistente, rica em gordura e muito saborosa, ideal para os dias frios de inverno. É feita à base de feijão, carne, legumes, temperada com a tradicional paprica e regada com natas.
A receita deve o seu nome ao reconhecido romancista húngaro do séc. XIX, Mór Jókai, por ser um admirador incondicional desta sopa. Assim, a tradução portuguesa exata deste prato tradicional será Sopa de Feijão à moda de Jokai.

Ingredientes:

Bacalhau à Zé do Pipo (Porto)

bacalhau à Zé do Pipo

O bacalhau à Zé do Pipo é um prato típico da cozinha portuguesa, mais concretamente da culinária tradicional do Porto. O nome da receita, por muitos considerado o melhor prato de bacalhau, deve o seu nome ao seu autor – Zé do Pipo, dono de um restaurante tradicional do Porto. A receita foi criado na década de 60 e obteve o 1º lugar num concurso da época, denominado “A melhor refeição ao melhor preço”.

Para confecionar este famoso prato de peixe, são necessários três ingredientes indispenséveis: lombos de bacalhau de excelente qualidade, maionese caseira e puré de batata, também caseiro. Após cozedura, o bacalhau é gratinado com os restantes ingredientes.