Churrasco Gaúcho

churrasco gaúcho

Churrasco é o termo usado em português e espanhol para designar um pedaço de carne assada na brasa. Tem uma forte ligação ao Brasil, sobretudo à região sul, por ser tradicionalmente uma área com grandes explorações de animais e consumo de carne. Foi na região do pampa – uma vasta região de pastagem natural que integra o estado do Rio Grande do Sul, no Brasil – que os vaqueiros, conhecidos como gaúchos, difundiram e deram fama a este prato tradicional. Foram, aliás, estes vaqueiros que, com o seu papel preponderante naquela região do país, deram origem à denominação de gaúcho a tudo o que provém ou é característico do estado do Rio Grande do Sul (como é o caso da culinária e da própria receita de churrasco aqui apresentada).

Tradicionalmente, a carne usada é a bovina, mas também são muito apreciadas as carnes de porco, de ovelha ou frango. Em termos de tempero, as carnes  bovina e ovina levam somente sal grosso, pois quaisquer outros condimentos lhes alteram o sabor natural; as carnes de frango e porco, por sua vez, já precisam de um tempero de véspera. No que se refere aos acompanhamentos, o churrasco gaúcho pode ser servido com linguiça, salsicha ou coração, assim como de uma farofa ou pão com alho.

Canja de Borrego Beirã

canja de borrego

A canja de borrego é uma sopa tradicional beirã, concorrente às 7 Maravilhas da Gastronomia Portuguesa. A sua candidatura foi feita com o intuito de promover a carne de borrego da Beira, que é um produto de excelência desta região de Portugal.

A canja de borrego é tradicionalmente confecionada numa panela de ferro, com ingredientes que marcam os sabores da região, como o azeite, a cebola e a cenoura. Esta é uma sopa com um sabor forte, característico do borrego, muito estimada pelos apreciadores desta carne.

Amêijoas à Bulhão Pato (Lisboa)

amêijoas à Bolhão Pato

Amêijoas à Bulhão Pato é um prato típico da culinária portuguesa, criado, nos finais do séc. XIX, pelo cozinheiro João da Matta, em homenagem ao poeta e escritor Bulhão Pato, que gostava muito de as comer. Foi um dos finalistas nas 7 Maravilhas da Gastronomia Portuguesa, na categoria de marisco.

A receita é simples, rápida e provavelmente uma das melhores formas de comer amêijoas. Pode ser servida como petisco ou como entrada numa refeição mais requintada. Para as confecionar, não podem faltar o azeite, o alho, o limão e os coentros. Algumas variantes da receita também incluem o vinho branco, que realça os sabores. A qualidade das amêijoas é determinante para o sucesso do prato e o molho que as acompanha pede pão para ser saboreado…

Arroz de Bacalhau

arroz de bacalhau

Sendo Portugal um dos maiores consumidores de bacalhau, há naturalmente a tendência de criar receitas típicas que tenham por base este peixe. O arroz de bacalhau é o exemplo duma receita tradicional portuguesa, da região do Minho, feito com bacalhau desfiado sem ser demolhado. É um prato delicioso, fácil de fazer e económico, com arroz, bacalhau, tomate, salsa, azeite e cebola. Já experimentou?

Ingredientes:

Polvo Guisado (Douro e Minho)

polvo guisado

Além do bacalhau, que é o prato de referência na ceia de Natal em Portugal, nas regiões do Douro e Minho, assim como nos Açores, é tradicionalmente servido o polvo, com batatas e couve portuguesa cozidas. Atualmente, essa tradição de servir o polvo, normalmente guisado, começa a integrar a ceia de Natal de grande parte das famílias portuguesas.

A Consoada na região de Entre Douro e Minho é o mais típico repasto do Natal português. Já Ramalho Ortigão referia que “Há só um banquete português que desbanca todos os jantares de Paris, mas que os desbanca inteiramente: é a ceia da véspera de Natal nas nossas terras do Minho”.