Avançar para o conteúdo
Home » Pão de Água na Bimby

Pão de Água na Bimby

  • por
pão sobre uma tabua de corte, ja com uma fatia retirada com uma bimby ao fundo
pão sobre uma tabua de corte, ja com uma  fatia retirada com uma bimby ao fundo

Na vasta e rica tapeçaria da gastronomia, poucas iguarias conseguem evocar memórias afetivas tão profundas quanto o Pão de Água na Bimby. Essa especialidade, que transcende a mera função alimentar, apresenta-se como uma obra-prima da panificação, amalgamando tradição e inovação. Neste mergulho na culinária, exploraremos a história, a criação, as variações, as tradições, os valores nutricionais, as dicas e, por fim, traçaremos uma conclusão que celebra a grandiosidade do Pão de Água na Bimby.

História e Criação:

A história do Pão de Água remonta a épocas ancestrais, quando a arte da panificação era uma alquimia reservada aos mais habilidosos artífices da cozinha. Originado em Portugal, o Pão de Água carrega consigo séculos de tradição e técnicas refinadas de preparo. Contudo, sua evolução para a era moderna ganhou um novo capítulo com a introdução da Bimby, uma revolucionária aliada na cozinha contemporânea.

A criação do Pão de Água na Bimby é uma síntese de tradição e tecnologia. O processo, meticulosamente controlado pela Bimby, permite uma mistura homogênea dos ingredientes, garantindo a textura perfeita e a obtenção da crosta dourada característica. A fusão entre a experiência acumulada ao longo dos tempos e a precisão da tecnologia resulta em um pão que respeita a essência de suas raízes, mas que se destaca pela perfeição técnica.

Variações:

O Pão de Água na Bimby é uma tela em branco para a expressão da criatividade culinária. Desde as suas origens, quando era um pão simples e puro, até os dias de hoje, as variações proliferaram. Adaptações com grãos integrais, inclusão de sementes e cereais, ou mesmo a introdução de ingredientes inusitados, como ervas aromáticas, ampliam o leque de opções. A Bimby, com sua capacidade de ajustar tempos, temperaturas e velocidades, proporciona um ambiente propício para a experimentação, incentivando a criação de Pães de Água únicos e personalizados.

Não deixe de ler:

Pão Caseiro: A Arte de Fazer Pão em Casa

Receita de Pão de Ló Fofinho

Tradições:

O Pão de Água, enraizado na cultura portuguesa, é mais do que uma iguaria; é um símbolo de comunhão e partilha. Tradicionalmente, ele é compartilhado em refeições familiares e comunitárias, sendo uma presença marcante em celebrações e eventos. A tradição de preparar o Pão de Água na Bimby é passada de geração em geração, promovendo a continuidade das técnicas artesanais e o respeito pelas raízes culturais.

Valores Nutricionais:

Além de sua importância cultural, o Pão de Água na Bimby apresenta benefícios nutricionais quando preparado com ingredientes de qualidade. Com uma base de farinha de trigo, fonte de carboidratos complexos, e água, o pão oferece energia sustentada ao organismo. A Bimby, ao possibilitar o controle total sobre os ingredientes, permite a escolha de farinhas integrais, enriquecendo o produto final com fibras e nutrientes essenciais. Ademais, a ausência de aditivos e conservantes, comuns em produtos industrializados, contribui para um perfil nutricional mais saudável.

pão sobre uma tabua de corte, ja com uma fatia retirada com uma bimby ao fundo

Pão de Água na Bimby

Ina
O Pão de Água na Bimby é a sinfonia perfeita da tradição padeira e da precisão tecnológica, onde cada mordida é uma harmonia de sabores que transcende o tempo e as fronteiras culinárias.
Total Time 1 hour 10 minutes
Servir como Acompanhamento, Café da Manhã, café da tarde, Lanche
Culinária Internacional
Servings 4 pessoas

Equipment

  • 1 Bimby
  • 1 Forma
  • 1 Forno

Ingredientes:
  

  • 330 g de água
  • 70 g de azeite
  • 25 g fermento de padeiro fresco pode substituir-se este por 7 g de fermento de padeiro seco
  • 400 g de farinha
  • 1 colher de chá de sal

Confeção:
 

  • No recipiente da Bimby, adicione com precisão a água, o azeite e o fermento, estabelecendo uma temperatura ideal de 37ºC e configurando a velocidade para 2, promovendo uma mistura homogênea durante 2 minutos.
  • Com maestria culinária, introduza a farinha e o sal no recipiente, ativando o modo de amassar (Tampa fechada/Espiga) por 2 minutos, assegurando uma consistência perfeita.
  • Após essa etapa meticulosa, transfira a massa resultante para um recipiente ou tabuleiro, habilmente polvilhado com farinha, e permita que o processo de levedura ocorra durante aproximadamente 40 minutos, ou até que a massa atinja o dobro do seu volume inicial.
  • Este é um momento crucial, onde os aromas da fermentação começam a impregnar o ambiente.
  • Enquanto isso, inicie o pré-aquecimento do forno a 240ºC, garantindo a temperatura ideal para a próxima fase de criação.
  • Num gesto que exala maestria, sobre uma superfície generosamente enfarinhada, divida a massa em seis porções distintas e molde cada uma delas em formatos individuais de pães.
  • O cuidado com os detalhes é fundamental, pois cada pão reflete a perícia do padeiro.
  • Acomode os pães meticulosamente moldados em um tabuleiro forrado com papel vegetal, proporcionando um ambiente ideal para a segunda fase de levedura, que se estende por aproximadamente 10 minutos.
  • Esse período breve, mas crucial, permite que os pães alcancem a consistência desejada antes de enfrentar o calor do forno.
  • Com o forno devidamente preaquecido, transfira o tabuleiro com os pães para o interior do forno, onde serão submetidos a uma temperatura de 240ºC por cerca de 15 minutos.
  • Este é o momento em que a alquimia culinária atinge seu auge, transformando a massa em pães dourados e crocantes, prontos para encantar os paladares mais exigentes.
  • Com a precisão de um verdadeiro mestre padeiro, retire os pães do forno e permita que esfriem graciosamente sobre uma rede, criando um ambiente propício para que cada aroma se intensifique e cada textura atinja sua plenitude.
  • Esta é a conclusão triunfante de um processo que une técnica, tradição e a promessa de uma experiência sensorial inigualável.
Etiquetas bimby, cozinha tradicional, pão de água

Dicas:

A preparação do Pão de Água na Bimby requer uma abordagem precisa e atenta aos detalhes. A seleção de ingredientes frescos e de qualidade é crucial para o sucesso da receita. A escolha da farinha, a medida exata de água e a atenção ao tempo de fermentação são passos fundamentais. A Bimby, com sua capacidade de controlar a temperatura e o tempo, possibilita um resultado consistente e saboroso. A adição de pré-fermentos naturais, como a massa madre, pode intensificar os sabores e aromas, elevando a qualidade do Pão de Água na Bimby. Em suma, a maestria na preparação reside na combinação da tradição com a precisão técnica proporcionada pela Bimby.

Conclusão:

O Pão de Água na Bimby é uma epopeia culinária que atravessa séculos, carregando consigo tradições e sabores inigualáveis. A fusão da expertise ancestral com a modernidade da Bimby resulta em uma experiência gastronômica única, onde o respeito pelas raízes não se opõe à busca constante por aprimoramento. Este pão, que une famílias e culturas, é um testemunho da riqueza que a gastronomia oferece quando harmoniza tradição e inovação. Ao degustar um Pão de Água na Bimby, não estamos apenas alimentando o corpo, mas também nutrindo a alma com a história e a paixão que permeiam cada pedaço.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recipe Rating