Broa de Milho

Broa de Milho

A broa de milho, também designada pão de milho, é uma receita muito antiga, feita tradicionalmente em Portugal, na Galiza e no Brasil. Em Portugal, a designação deste tipo de pão depende da região do país – no Norte, usa-se o termo broa para os pães feitos com milho ou centeio, sendo que no Sul se adotou a designação de pão, termo que deriva do Latim panis.

A receita é feita com uma mistura de farinhas de milho e trigo, ou milho, trigo e centeio, às quais se adiciona a água e o fermento. Até há alguns anos atrás, a broa de milho mantinha a conotação herdada da Idade Média, quando era considerada um tipo de pão caseiro que os pobres consumiam no dia-a-dia, opondo-se ao pão branco (de trigo) consumido maioritariamente pelas gentes mais abastadas.

Ingredientes:

(para 2 broas)
  • farinha de trigo q.b. p/ ligar
  • 250 g de farinha de centeio
  • 500 g de farinha de milho peneirada
  • 1 colher (sopa) mal cheia de sal grosso
  • 20 g de fermento de padeiro
  • 300 ml de água morna
  • 400 ml de água a ferver
  • sémola de milho p/ polvilhar

Confeção:

Escalde a farinha de milho na água a ferver, amassando bem. Deixe repousar durante 1 hora.

Dilua completamente o sal e o fermento na água morna.

Misture a água com o fermento no preparado de farinha de milho e amasse muito bem.

Acrescente a farinha de centeio e, por fim, a farinha de trigo, aos poucos. A farinha de trigo deve ser adicionada atendendo à consistência da massa, que deve ficar pegajosa e firme (mas não dura).

Cubra a massa com farinha e faça uma cruz no centro.

Tape o recipiente com um pano e deixe a massa levedar cerca de 1 hora (estará pronta quando apresentar ranhuras na superfície).

Divida a massa em 2 porções iguais e forme as broas, dando-lhes a forma arredondada. Tradicionalmente, a massa é tendida numa tigela bem enfarinhada, atirada algumas vezes ao ar e rodada rodada em simultâneo para lhe dar o formato de bola, indo depois ao forno sobre uma folha de couve enfarinhada.

Coloque a massa num tabuleiro polvilhado com farinha, espalmando um pouco, mas sem achatar demasiado.

Polvilhe as broas com sémola de milho e leve a cozer em forno quente pré-aquecido (200° C) cerca de 1 hora. Evite abrir o forno antes de tempo.

Dica:

Para saber se o pão está cozido, ao bater com a mão na base, deve ouvir um som oco.

Se fizer esta receita, mande-nos a sua foto para o email cozinhaatradicional@gmail.com e nós faremos a divulgação com a indicação da sua autoria.
Print Friendly, PDF & Email

14 Respostas a Broa de Milho

  1. Ainda não fiz esta receita,mas já provei esta broa e gostei muito
    • Jose diz:
      Como se trata de uma receita tradicional e pelos vistos os métodos e hábitos mudam com o tempo, era importante mencionar o “tempo” ou a época em que essa receita era usada. Por mim gosto ou prefiro ir à origem, ou seja ao s conhecimentos mais antigos sobre essa matéria. A broa de milho é ou era confeccionada apenas com farinha de milho, por isso alguns autores referem que era o pão dos pobres. No norte da Península Ibérica era o cereal mais abundante, resistente ao clima e fácil de cultivar. Se fosse tão fácil criar cereais nobres como o trigo e o centeio chamava-se pai de mistura. O nome de “broa” foi porque o pão tinha aparência rude, feia e a comer era duro e áspero, quanto ao sabor, obviamente que passou a ser muito mais saboroso quando lhes misturaram um pouco de trigo, centeio ou cevada. O meu ponto é; não chamem “broa de milho” ao pão que leva 60% de outros cereais por favor. Broa de milho leva apenas milho, sal, fermento e agua.
  2. O comentário não alude à receita. Prende-se à origem da broa de milho, apresentada como alimento de origem medieval. O milho é uma planta americana, que se tornou conhecida na Europa somente depois das Descobertas, já no século XVI. Embora haja extensas plantações de milho
    em Portugal, salvo as broas, os grãos servem apenas para alimentação do gado. Como se vê, ao contrário do Brasil,onde são inúmeros os pratos gostosos que empregam o milho. Dizem os etimólogos que a palavra broa tem origem incerta, mas parece proceder de línguas pré-romanas. Tal leva a crer que as broas eram milenarmente preparadas com centeio, substituído ou enriquecido com o milho já em eras mais próximas. Sds. J. L. de Castro
    • Rosa L .Maria Santos diz:
      Olá, Sr. José Castro, acabo de ler sua informação, a qual não concordo em parte.

      Sou transmontana e minha mamã que faleceu com 97anos, minha avózinha que faleceu nos anos 50 e ue própria cozinhei vários pratos de milho e comia-se a massaroca ou seja espiga de milho assada.

      É verdade que os animais são alimentados com milho. Um abraçinhoDePORTUGAL

    • Vera holz diz:
      Posso usar trigo integral no lugar do centeio
    • marilia diz:
      O milho já existia em Portugal, só que era milho miúdo!
  3. Rosa L .Maria Santos diz:
    Olá , Sr José Castro, acabo de ler seu informação relacionada com o milho, com a qual não concordo em parte. Sou transmontana, minha mamã faleceu com 97 anos e minha avozinha nos anos 50 e sempre cozinharam o milho, bem como a massaroca ou seja espiga do milho assada. Eu própria cozinhei e cozinho vários pratos de milho . Um abraçinhoDePORTUGAL
    • José Roque diz:
      Quanto à utilização do milho, há diversas formas de utilizá-lo na alimentação humana, conforme diz, acrescento as pipocas (quem não gosta? e, em farinha, as papas de milho que comi diversas vezes, em pequeno, e que ainda gosto. Quanto a culinária o sr. José Castro deveria estar melhor informado, quanto à origem do milho está correcto.
    • antónio diz:
      Rosa, ele fala de que o milho não existia na Europa na época medieval, e é verdade. O milho foi importado da América aquando das descobertas, assim como a batata. Obviamente estamos a falar de há 500-400 anos atrás.
  4. J.M. Silva diz:
    Receitas maravilhosas
  5. Levi Mourato diz:
    E então as papas? As papas que tradicionalmente se faziam ,penso que de norte a sul ! Serviam para aproveitar restos de sopa,à qual se acrescentava agua e sal e depois a farinha de milho que se colocava lentamente, sempre mexendo.Com uns punhados de farinha fazia-se uma refeição para uma família ! Isso ainda hoje se faz,bem sei que com muito menos frequência .Na minha região (litoral centro)chamava-se esparragado.um abraço a todos.
  6. Libertad diz:
    Ola Boa Tarde fiz a vossa receita pela primeira vez, mas a quantidade de água recomendada esta errada. Tive que jogar tudo fora pois a massa ficou aguada em demasia e não deu o ponto para transformar-se em broa.
    Não sei se vcs testam as receitas mas essa com certeza foi copiada e não testada.
    Fiz a receita de broa que esta no Youtube como As receitas da Carol e essa sim da certo.
  7. Rodrigo diz:
    A broa semelha uma palavra germanica (bread, brot, brood…) e faz-se com a mesma técnica de muitos paes do norte de Europa, escaldadando parte da farinha.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>