Menu

Pastéis de Tentúgal

A história da vila de Tentúgal, no concelho de Montemor-o-Velho, confunde-se com a da doçaria conventual, na qual se integram estes pastéis que, em grande medida, contribuíram para que a fama daquela vila se tenha difundido e prolongado ao longo do tempo.

Os pastéis foram criados pelas freiras do Carmelo de Tentúgal, sendo confecionados desde os finais do século XIX. São conhecidos pela sua massa folhada finíssima e única no mundo. Inicialmente designados “Pastéis do Convento”, os pastéis de Tentúgal, também conhecidos como “pastel pobre”, deixaram de ser confecionados fora do convento aquando das reformas que, em 1834, puseram fim às congregações religiosas.

Atualmente, os pastéis são conhecidos pela sua forma alongada, a fazer lembrar um travesseiro, e o típico recheio com doce de ovos. Devido ao seu formato, os pastéis de Tentúgal são também designados de “Palitos”. No entanto, outrora a forma dos pastéis era em meia-lua e o recheio, além do doce de ovos, incluía também amêndoa.

Veja como preparar esta iguaria da doçaria conventual, que é hoje em dia um dos ícones da doçaria regional portuguesa.

Ingredientes:

Para a massa
  • 1 pitada de sal
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 200 ml de água
  • 500 g de farinha de trigo
Para o recheio de ovos-moles
  • 12 gemas
  • 250 g de açúcar
Para a cobertura
  • açúcar em pó q.b.

Confeção:

Peneire a farinha várias vezes para um alguidar e faça uma cova no meio, onde deita a manteiga derretida. Misture bem.

Aqueça a água, onde previamente dissolveu o sal. Adicione-a, pouco a pouco, à farinha, amassando até a massa se despregar das mãos.

Molde a massa em forma de bola e coloque-a num prato previamente polvilhado com farinha.

Polvilhe também a massa com um pouco de farinha e cubra com uma tigela aquecida, deixando repousar durante 30 minutos.

Entretanto, prepare os ovos-moles para o recheio.

Estenda um pano sobre uma superfície lisa e limpa.

Pincele a massa com um pouco de manteiga derretida em banho-maria ou azeite; retire pequenos pedaços e estenda-os, com o rolo, sobre o pano (deverá ter cuidado para não romper a massa, que deve ficar tão fina como uma folha de papel).

Corte a massa em retângulos com 14 cm x 10 cm, retirando as bordas espessas, que não devem ser aproveitadas para as folhas dos pastéis.

Derreta um pouco mais de manteiga em banho-maria.

Sobreponha quatro folhas de massa, pincelando-as, uma a uma, com a manteiga derretida.

Coloque 2 colheres (sopa) de ovos-moles sobre cada retângulo de massa (com quatro folhas) e enrole os pastéis, dobrando as pontas para cima.

Distribua os pastéis num tabuleiro e leve-os a cozer, cerca de 15 minutos, em forno forte (200º C).

Quando retirar os pastéis do forno, polvilhe-os com açúcar em pó.

SUGESTÃO:

Com as claras que não usou na preparação dos pastéis de Tentúgal, prepare um outro doce regional muito afamado, delicioso e envolvente – os maravilhosos Amores de Azeitão (receita AQUI).

Print Friendly, PDF & Email
Categorias do artigo:
Bolos · Doçaria Conventual · Doces · Doces Portugueses

Comentários

  • Não são pastéis de Tentúgal, chamem-lhe outra coisa. Assim como aos pastéis de nata não lhe chamam de Belém, como os pão-de-ló são de vários sítios. A massa não rompe nem é estendida com rolo. estes pastéis são do “tipo”de Tentúgal, até podem ser deliciosos, mas não desvirtuem as coisas.

    maria belo setembro 11, 2016 4:23 pm Responder
  • CONCORDO com a Srª. Maria Belo.

    Adriano Soares Silva setembro 25, 2017 1:45 pm Responder
  • Queria saber a quantidade de água para o recheio de ovos moles

    Belmira cunha março 1, 2020 11:06 pm Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *